transtorno bipolar
Transtorno bipolar: entenda tudo sobre este distúrbio
23/05/2016

Saiba tudo sobre a depressão na adolescência

Depressão na adolescência

“Isso é apenas coisa de adolescente.” Já ouviu isso de alguém mais velho? A depressão na adolescência pode ser mal reconhecida pelas pessoas em detrimento das rápidas (e muitas vezes conflituosas) mudanças que ocorre com todo jovem nesta fase.

Logo pensam que isso é coisa de um adolescente imaturo ou rebelde, e não dão a devida importância ao fato de que algo muito grave pode estar acontecendo.

Você pode ser um adolescente que acredita estar com depressão, ou um conhecido ou pai procurando entender o que ocorre com seu filho. Este artigo pode ajudar a todos a lidar melhor com esta situação!

Você deve identificar os sintomas, e caso considere que existe depressão, procurar ajuda médica.

Aqui vou procurar esclarecer o que é a depressão na adolescência, de que tipo de depressão ela é. Como diagnosticá-la e, principalmente, tratá-la, para que, ao ser superada, se torne mais uma fase de aprendizado e não de destruição.

Confira, e descubra como lidar com a depressão na adolescência!

Adolescência: um rico e empolgante estágio da vida

A adolescência é um estágio da vida que pode ser maravilhoso – mesmo que você (ou um jovem conhecido seu) possa estar se sentindo péssimo agora. Acredite: a vida pode ser saudável e agradável.

O romancista Johann Wolfgang von Goethe resumiu a juventude com habilidade:

A juventude é a embriaguez sem vinho.

Como discordar de sua afirmação, já que relegamos à adolescência as experimentações, os acertos e os inevitáveis erros no percurso?

Quando jovens, também, deixamos muitas emoções à flor da pele.

As mudanças radicais no corpo e na mente que acontecem com o adolescente produz uma instabilidade natural. Quem nunca derrubou coisas por não ter podido calibrar os membros em rápido crescimento?

Agora e quando essas mudanças trazem uma tristeza constante, apatia, e desinteresse geral com a vida?

Isso pode ser depressão na adolescência.

Calculando a gravidade da depressão na adolescência

Já relatamos aqui no saudeinterior.org a gravidade dessa doença, que já assumiu protagonismo no alerta geral da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Para a geração de jovens que está construindo o nosso futuro, há também uma mensagem crítica: a depressão é a grande responsável pela inaptidão que acomete jovens 10 e 19 anos!

Além disso, competindo com os acidentes de trânsito e a Aids, o suicídio decorrente da depressão não tratada está entre as principais causas de morte entre os adolescentes.

É hora de ligar o alerta para essa situação, não concorda?

Vamos ver o passo a passo para isso!

Como identificar a depressão na adolescência

Ainda de carona com o escritor Goethe, é difícil prestar atenção aos sintomas da depressão na adolescência justamente por se tratar de um momento em que as mudanças comportamentais da idade — e perfeitamente naturais —podem confundir o diagnóstico.

Quais pais não se identificam com as súbitas alterações de humor e no comportamento? E não apenas observando seus filhos, mas puxando pela própria memória sua própria experiência dos anos passados.

Por isso, se eles parecerem irritadiços e tristes ou desanimados, compreenda — lembre-se que eles estão passando pelo barril de pólvora que é a adolescência.

Mas, caso os sintomas persistam e se alojem na rotina do jovem, não custa nada buscar um primeiro apoio de profissionais especializados. E conforte-se: todo tipo de depressão é tratável!

O humor deprimido está atrapalhando a rotina do adolescente?

Se a resposta for sim, é isso que significa “persistir” na rotina – algo está atrapalhando o desenvolvimento natural dele ou dela.

Da mesma forma que ocorre em adultos, a depressão é incapacitante.

Por isso, sintomas que fiquem por mais de 3 semanas já são incomuns. Mas muita atenção ao perceber que o dia a dia está difícil ou impossível de ser cumprido.

Faltas na escola, dificuldade de se enturmar potencializada, desânimo para tudo e todos… Tudo isso são questões que devem ser observadas e analisadas para buscar ajuda.

Sintomas da depressão na adolescência

Os sintomas comuns entre ambos os gêneros são os seguintes:

  • Pouco ou nenhum interesse por atividades de lazer ou obrigatórias;
  • Excesso ou perda de peso e de apetite;
  • Desequilíbrio entre a agitação e a apatia;
  • Concentração afetada;
  • Dificuldade em dormir ou sono em excesso;
  • Pensamentos mórbidos.

Uma coisa importante é que o quadro clínico da depressão na adolescência pode se apresentar de maneiras diferentes entre as moças e os rapazes.

Sintomas mais comuns da depressão nos garotos

Para eles, é comum o surgimento de comportamentos agressivos e rebeldia sobre a sua conduta, além de um sentimento persistente de desdém e desprezo pelos outros.

Sintomas mais comuns da depressão nas garotas

Elas, por sua vez, são mais acometidas pelo desânimo, a ansiedade e o tédio.

Obviamente isso é muito variável, porém há uma tendência dos adolescentes responderem à depressão destas maneiras.

O tratamento para a depressão na adolescência

Alguns dos sintomas acima listados foram identificados? É hora de ir a um psicólogo para entender e compreender as causas dessa depressão.

O papel da terapia como tratamento

Desde que foi reconhecida como uma doença, a depressão ficou muito mais possível de ser tratada.

E, com a depressão na adolescência, o tratamento pode servir como prevenção, e também como um alívio dos sintomas. Pois esse distúrbio pode ser evitado desde cedo!

O aconselhamento e acompanhamento médico podem ajudar com um diagnóstico muito mais preciso e, consequentemente, um tratamento mais eficaz.

Além da participação clínica, que vai da terapia aos medicamentos prescritos pelo profissional de saúde, há consenso em algo: o apoio da família é fundamental!

Por isso, é importante que a depressão na adolescência seja encarada como o desconforto clínico que ela é.

De nada adianta menosprezar os sintomas do jovem, e tampouco tratá-lo com mimos e caprichos, em vez de promover o devido tratamento.

Novamente: não confunda a depressão na adolescência com o comportamento característico da juventude.

Participe da vida dos jovens (sem sufocá-los, claro: eles são adolescentes e estão experimentando os primeiros passos da sua própria independência) e faça questão de mostrar o quanto eles têm o apoio dos pais!

Junto com o acompanhamento médico, descubra:

  • O que engatilhou a depressão na adolescência?
  • Quais são as opções de tratamento?
  • Como os familiares e os amigos podem contribuir?

O apoio e a compreensão são, muitas vezes, um dos remédios mais eficazes para quem sofre de depressão na adolescência.

Mas não podemos esquecer, claro, das outras opções fundamentais no tratamento!

Remédio para depressão na adolescência

Os remédios mais utilizados no combate à depressão são os seletivos da recaptação de serotonina, como o citalopran, a fluoxetina e a paroxetina.

Resultados científicos apontam como 60% de taxa de sucesso no tratamento em crianças e adolescentes, pois, além de trazer benefícios no aliviamento dos sintomas, também contam com menos efeitos colaterais.

Terapias

Dois tipos de terapias são recomendados no combate à depressão na adolescência:

  • Terapia comportamental: a cada sessão, a pessoa aprende — e reaprende — a encontrar o prazer na rotina e, também, a trabalhar os motivos que o levaram a procurar ajuda, em primeiro lugar. É tida como uma das terapias mais eficientes!
  • Terapia interpessoal: sua definição está, justamente, nas relações que o jovem tem com o mundo, em como enxerga-o e como lida com as situações. A terapia serve, nesse caso, como um aconselhamento contínuo que visa descomplicar as dificuldades pessoais.

Sim, é uma jornada que tende a ser longa (no mínimo, seis messes de tratamento), mas com resultados animadores.

E não se esqueça que, além da força de vontade e disposição do jovem, os medicamentos e a terapia, pais e amigos têm papel importante na recuperação.

Por isso, aprenda como ajudar os jovens a sair da depressão!

O caminho mais longo é o mais assertivo

Nem tudo que é fácil demais, no tratamento da depressão na adolescência, é o mais justificado.

Como dissemos ao longo deste artigo, o tratamento possui um tempo natural. Apressá-lo não faz bem algum ao jovem. Tampouco deixá-lo esmaecer naturalmente, pois a depressão é uma doença que necessita de um bom engajamento do paciente e dos familiares para que seja eliminada.

Participe, ajude, aconselhe e esteja sempre ao lado dos adolescentes.

Vamos fazer o possível para que a depressão na adolescência deixe de ser um perigo ao amadurecimento dos jovens, e que esta fase seja aquela deliciosa embriaguez sem vinho!

Se cuide, meu querido, minha querida adolescente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *