fbpx

Terapia cognitiva comportamental: entenda tudo sobre ela!

A terapia cognitiva-comportamental (TCC) é uma das formas de terapia mais eficazes atualmente.

Se você quer saber como a terapia cognitiva-comportamental pode ajudar uma pessoa com transtornos como depressão, ansiedade, síndrome do pânico,  continue lendo este artigo!

O que terapia cognitivo-comportamental?

É uma abordagem psicoterapeutica criada por Aaron Beck usada para combater um amplo leque de condições psicológicas indesejadas.

Ela se baseia nas teorias do behaviorismo e na ideia de que nossos PENSAMENTOS sobre um evento ou experiencia influenciam fortemente nossas respostas emocionais, comportamentais e físicas a tal acontecimento.

Então, compreendendo e alterando nossos pensamentos, podemos moldar nosso humor e nosso comportamento para que sejam mais saudáveis e agradáveis.

A ideia é simples assim, porém sua aplicação requer um processo específico.

É necessário tempo e dedicação para que os resultados de uma terapia cognitiva comportamental crie um efeito duradouro no humor (emoções/sentimentos) e no comportamento da pessoa.

Como a TCC funciona?

A TCC só pode ser aplicada por um profissional e, de forma geral, todas as sessões são realizadas em ambientes próprios (clínica), e orientadas a partir de uma rotina entre terapeuta e paciente. 

De início é verificada sempre a condição de humor do paciente, bem como é definida uma agenda para a sessão em andamento. 

O terapeuta, em regra geral, aplica tarefas de casa para as crianças e os adultos. Elas são passadas após as sessões e revisadas no encontro seguinte. 

A tarefa possibilita alcançar resultados positivos em curto espaço de tempo, já que o profissional analisa a situação juntamente com o paciente e ambos traçam as estratégias para solucionar determinado problema que tenha acontecido nesse período.

A terapia cognitiva comportamental funciona mesmo?

A TCC é usada para tratar doenças como ansiedade, bulimia, descontrole da raiva, estresse, depressão, entre outros. 

Os números são impressionantes: 75% dos pacientes que iniciam o tratamento comprovam seus benefícios. 

Técnicas do TCC 

A terapia cognitiva comportamental usa e aplica algumas técnicas em suas sessões para que aconteça a mudança no comportamento do paciente.

Entre elas citamos: 

A reversão de hábitos que é importante para fazer o paciente perceber cada detalhe que traz desconforto e mudá-los.

Abrir a consciência para que ele consiga identificar os fatores desencadeantes e as suas consequências em determinado comportamento dele.

Prevenção e orientação para evitar as recaídas, ajudando-o a enfrentar as situações que podem desencadeá-las.

O paciente aprende a controlar o stress e a angústia através de exercícios com a respiração e relaxamento muscular.

Manter um registro de todas as ocorrências do seu dia a dia que podem ser úteis no tratamento.

Qual a diferença entre TCC e psicanálise?

Tanto a terapia cognitiva comportamental, quanto a psicanálise, são consideradas terapias psicológicas, no entanto, existem diferenças essenciais entre elas. 

A psicanálise teve seu início com Freud e é baseada em tornar o inconsciente consciente. Para isso, é utilizado o método chamado de associação livre.

Nesse método, o paciente fala dos seus sentimentos e vai libertando o inconsciente.

Geralmente, não existe uma orientação ou objetivo, a pessoa quer libertar-se e pode demorar até encontrar a origem do problema.

Já a terapia cognitiva comportamental se orienta no problema ou sintoma atual do paciente, baseando-se nas análises dos fatores de predisposição, desencadeadores e mantenedores de transtornos mentais. 

Por ter o problema como base norteadora, a TCC orienta para a mudança do comportamento problemático. 

Ela é voltada à mudança e à ação transformadora por meio de pensamentos e sentimentos positivos.

Quais doenças psicológicas que a TCC trata?

A terapia cognitivo comportamental é utilizada com eficácia no tratamentos de:

  • depressão;
  • ansiedade;
  • raiva;
  • hipocondria;
  • transtornos alimentarem;
  • abuso de substâncias;
  • problemas de relacionamento;
  • dentre outros.

E é indicada para qualquer tipo de pessoa, e de todas as idades, incluindo crianças e idosos.

TCC para tristeza

As principais causas da depressão são as distorções cognitivas que geram respostas negativas, ou seja, quando algum pensamento ou atitude gera algum desconforto para o paciente. 

A tristeza é uma dessas respostas. 

A terapia cognitiva comportamental ajuda o paciente a reconhecer o sentimento de tristeza e evitá-lo no seu dia a dia. 

Com esse reconhecimento, tanto paciente como terapeuta, buscam por alternativas de pensamentos positivos dentro das situações apontadas como geradoras da tristeza.

Uma doença muito comum que envolve a tristeza é o transtorno afetivo sazonal que é caracterizado por depressão que ocorre sempre na mesma época do ano. 

O tratamento para esse transtorno, normalmente, é feito através de terapia com luz.

No entanto, uma pesquisa publicada no The Journal of Psychiatry aponta que a terapia cognitiva comportamental é indicada também para essa doença.

TCC e a depressão

A terapia cognitiva comportamental tem apresentado sucesso no tratamento da depressão e da ansiedade, já  que ela proporciona ao paciente formas claras de analisar as suas características pessoais, bem como promove a sua autodescoberta.

A TCC no tratamento da depressão baseia-se em ter acesso às crenças e regras fornecidas pelo paciente, através de dados ambientais e mnemônicos. Essa palavra complicada diz respeito às formas de memorização.

A terapia usa métodos eficazes e rápidos para tratar a depressão, sem ter o foco em entrar no passado do paciente para buscar a origem da situação, como outras formas de terapia.

Ela ajuda o paciente a romper os pensamentos irreais e improdutivos do agora, incentivando a formação de ideias positivas e racionais.

Esse exercício permite a reestruturação cognitiva. 

É como se o paciente se tornasse seu próprio terapeuta, já que a forma de tratamento é educativa e faz ele obter informações sobre o seu transtorno, levando-o a um processo de mudança por meio da aprendizagem e da cognição.

Além da TCC poder ser utilizada no tratamento da depressão, ela também tem como objetivo a prevenção da doença.

Segundo uma pesquisa publicada no JAMA Psychiatry, um tratamento contínuo de TCC em adolescentes mostrou que é possível prevenir a depressão.

TCC e a hipocondria

Provavelmente você já ouviu falar sobre a hipocondria. Ela é uma psicopatologia que é caracterizada pelo medo constante de estar ou desenvolver uma doença, trazendo ao paciente sérios problemas sociais e pessoais. 

Profissionais revelam que até pouco tempo, praticamente nenhum tratamento específico tinha conseguido resultados completamente positivos em relação aos pacientes que apresentavam hipocondria. 

Profissionais do Departamento de Psiquiatria do Brigham and Women’s Hospital e da Harvard Medical School, em Boston (nos EUA), passaram a avaliar se a terapia cognitiva comportamental apresentava eficácia no tratamento da doença e publicaram um estudo no periódico NCBI

O estudo foi baseado no monitoramento das atitudes, dos medos e dos sintomas somáticos de 187 voluntários que se submeteram, durante um ano, às sessões de TCC. 

Os pesquisadores concluíram que a terapia apresentou resultados positivos e benéficos no tratamento da doença. 

A TCC passou, então, a ser usada por psicólogos, terapeutas e psiquiatras nesse sentido, ajudando o paciente a reconhecer suas crenças e sentimentos que fortalecem a hipocondria. 

Fazendo esse reconhecimento, ele consegue adotar novas formas de pensar e se comportar de forma mais saudável.

Como funcionam as sessões? 

O funcionamento das sessões da terapia cognitiva comportamental dependerá diretamente da idade do paciente e dos conflitos dele que, normalmente, se concentram no comportamento, na forma de pensar e sentir da pessoa em relação à sua vida e ao seu redor. 

O número de sessões varia entre 10 e 20 porque cada paciente apresenta um perfil e uma necessidade, por isso, são orientadas técnicas diferentes durante os encontros entre terapeuta e paciente. 

Tudo vai depender das mudanças que vão ocorrendo, como novo humor, ânimo pela vida, controle das emoções e equilíbrio dos sentimentos.

De qualquer forma, a TCC tem um período curto de duração e, independentemente da técnica, é altamente eficaz para melhorar comportamentos específicos, o que faz com que muitos profissionais a recomendem e muitos pacientes a procurarem.

Agora que você sabe mais sobre a terapia cognitiva comportamental que tal ler no nosso site mais informações sobre a depressão?!

A terapia cognitiva comportamental na infância e adolescência

A terapia cognitiva comportamental também apresenta resultados positivos no tratamento dos mais diversos tipos de distúrbios e condições em crianças e adolescentes.

Ela funciona da mesma forma que o tratamento de um adulto e fundamenta-se que todo comportamento é adaptativo, isso quer dizer que ele pode mudar.

Baseia-se também na interação entre os pensamentos, sentimentos e comportamentos de uma pessoa.

Dessa forma, ela auxilia no sentido de reconhecer a importância dos fatores cognitivos, comportamentais, afetivos e socioambientais na formação e manutenção dos transtornos emocionais, originados na infância ou na adolescência. 

A TCC é tão importante na vida da criança que a Academia Americana de Pediatria orienta que os médicos indiquem essa terapia antes de qualquer outro recurso da medicina para pré-escolares com TDAH, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade. 

Vale lembrar que ela pode ser usada para tratar crianças e adolescentes que apresentem transtornos no seu comportamento como as que mentem, roubam ou, até mesmo, machucam animais ou pessoas, caracterizando-as como antissociais.

Ela auxilia também, de forma eficaz, as crianças e jovens com transtornos de personalidade, conduta, ansiedade, bipolaridade e depressão.

Também é indicada para a hiperatividade, distúrbios alimentares (como compulsão, anorexia e bulimia), dependência química, distúrbio do sono, desordens sexuais e muitos outros.

Como funciona a terapia cognitiva comportamental na infância e adolescência?

Uma das características da terapia cognitiva comportamental é a consideração de que o psiquismo humano é um sistema dinâmico que sofre a influência de vários fatores externos.

Para a criança, esses fatores podem estar na convivência e na relação com a família, como também em todo o ambiente escolar. 

Tal qual no tratamento com adultos, as técnicas de TCC focam no presente e têm como objetivo mudar as estruturas cognitivas e de comportamento da criança ou adolescente. 

A TCC auxilia na modificação das suas crenças e comportamentos, ajudando-os a desenvolverem formas de pensar e agir mais saudáveis. 

Para isso, deve-se estabelecer uma relação de confiança entre o paciente (criança ou adolescente) e o terapeuta para, assim, ser possível a identificação e as correções da antiga forma de pensar e agir.

Isso tudo acontece em um ambiente adequado e descontraído, com brinquedos e recursos que o torne atrativo, principalmente para as crianças, lembrando que os familiares são peças fundamentais para que o tratamento alcance sucesso, por isso, existe também o encontro entre o psicólogo e os pais. 

Nesse encontro, eles estabelecem metas para o comportamento da criança e elogiam e recompensam uma conduta positiva, desestimulando o negativo. 

A terapia cognitiva comportamental é altamente positiva e produtiva para as crianças, adolescentes e para os pais.

De acordo com um estudo realizado por neurocientistas da Universidade de Oregon, a terapia comportamental cognitiva pode prevenir o TDAH ou diminuir, consideravelmente, sua gravidade.

Minha história com a TCC

Eu tive meus primeiros contatos com a terapia cognitiva-comportamental quando precisei consolidar de vez minha superação da depressão. Naquela época, a terapia tinha sido um sucesso, porém haviam recaídas frequentes que estava me deixando muito frustrado.

Identifiquei com meu terapeuta que as recaídas aconteciam devido a 2 fatores:

  1. Quando fazia algumas atividades específicas, como dormir no fim da tarde, ao chegar do trabalho.
  2. Devido à uma maneira de pensar inadequada em relação a mim mesmo, meu passado e ao meu futuro.

Ou seja, apesar de ter recebido alta, minha mente e meus comportamentos ainda repetiam aquele velho modo deprimido de ser.

Após identificar a necessidade de uma reprogramação mental e comportamental, eu e meu terapeuta usamos o livro “A Mente Vencendo o Humor” como guia para a terapia, utilizando os vários exercícios cognitivos que o livro possui.

(Entender o que acontece dentro de você é muito importante se você quer se livrar de uma depressão.)

Assim, a TCC me ajudou a:

  1. Reconhecer todos os padrões de humor, pensamentos e comportamentos que aconteciam comigo;
  2. Avaliar meus comportamentos, identificando aqueles que me deixavam mais melancólico e deprimido;
  3. Revisar minha rotina diária com atividades práticas que melhoravam meu humor ao invés de deprimí-lo;
  4. Reprogramar meus pensamentos (cognição);
  5. Consolidar novos hábitos.

Na época não imaginava que iria aprender tanto sobre como minha mente funciona.

Acredito que muitas pessoas podem se beneficiar de uma terapia cognitivo comportamental. Veja a seguir as principais características desta linha terapêutica.

Compreendendo seus problemas com a terapia cognitiva

A primeira coisa que seu terapeuta irá fazer com você é lhe ajudar a compreender seus problemas de forma mais objetiva e real.

Quando estamos vivenciando um estado de humor desagradável, como uma depressão por exemplo, é muito difícil ter uma noção clara e realista do que esta ocorrendo conosco.

Isso acontece porque com um humor alterado por uma depressão ou pela ansiedade, nós tendemos a interpretar de modo distorcido as nossas experiencias. Um sintoma comum de deprimidos é enxergar as coisas mais pelo lado negativo, por exemplo.

A terapia cognitiva comportamental irá trabalhar inicialmente para que você tenha uma compreensão real e objetiva do que ocorre com você.

Me lembro quando fiz este exercício, e identifiquei que num dia que fiquei muito deprimido devido a algo que ocorreu, havia acontecido 3 coisas muito bacanas. Porém minha mente deprimida estava focando apenas na experiencia negativa. Ao contatar isso pensei:

“Mas que cérebro dissimulado eu tenho!”

Naquele dia decidi fazer meu cérebro (minha cognição) em meu favor! E usei a TCC para isso.

Já se sabe que cada doença da mente produz determinados sintomas e modos de pensar.

O deprimido, por exemplo, tende a focar seus pensamentos no passado e no presente, enquanto os ansiosos focam seus pensamentos no presente e no futuro.

Modelo de 5 partes pra gente se compreender

Segundo o livro de Greenberger e Padesky, “A Mente Vencendo o Humor”, a terapia cognitiva comportamental lida com a análise de 5 características das nossas experiências de vida: os pensamentos (crenças, imagens, lembranças), o estado de humor, o comportamento, as reações físicas e o ambiente (passado e presente).

terapia cognitiva comportamental

 

A sacada genial desta abordagem terapêutica é entender estas 5 instâncias como um SISTEMA, ou seja, se você altera alguma característica, as outras irão ser naturalmente influenciadas.

E isso é verdade tanto para mudanças negativas, que fazem os quadros patológicos piorarem, como para as mudanças positivas, ajudando a melhorar as outras 4 áreas.

O pensamento é o que determina

O bacana desta terapia é que ela é muito prática. Ela nos orienta:

Se você quer se sentir melhor, é pelos pensamentos que frequentemente deve começar.

Os pensamentos ajudam a definir os estados de humor que experimentamos, influenciam o modo como nos comportamos e o que escolhemos fazer ou não fazer.

Os pensamentos e as crenças afetam até nossas respostas físicas!

Fazendo um diagnóstico da mente com a terapia cognitiva

Você consegue nomear o que está sentindo?

Saber identificar o que se passa dentro de você é fundamental para a terapia. Há várias formas de fazer isso, mas vou citar uma delas, baseado nas situações que desencadeiam o estado de humor.

Identificando um estado de humor

Comece nomeando o que sente: estou deprimido, nervoso ou apenas triste? Frustrado, constrangido ou ansioso? São sentimentos diferentes, e você deve saber especificá-los.

Depois descreva algumas situações em que o humor que você quer tratar (uma a depressão ou uma ansiedade) acontece.

Pronto: você já tem um 1º diagnóstico de como sua mente está funcionando, e os gatilhos que ativam o humor deprimido.

Abordagens diferentes para cada patologia

Há maneiras diferentes do terapeuta utilizar a terapia cognitiva comportamental de acordo com o tipo de doença da mente que deseja tratar.

O mais importante é você ser acompanhado por um profissional especialista em TCC. Ele lhe ajudará no processo e lhe dará ótimos feedbacks sobre a sua evolução.

Ah… Confira os outros artigos do SaúdeInterior.org que diz respeito à doença que você deseja saber.

Se cuide e fique em paz!

Alex Carnier
Alex Carnier
Após uma depressão, fundei o portal terapêutico Saúde Interior, iniciei a formação em Psicologia Ψ e me tornei um entusiasta da #psicoeducação. Vem comigo!
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Comente aqui o que achou do artigo!x
()
x