Sintomas de depressão
Sintomas de depressão: aprenda a identificar os 19 sinais possíveis da doença
22/04/2016

O que é Depressão? Entenda suas causas, sintomas e tratamentos

O que é depressão?

A depressão no século XXI tem atingido milhões de pessoas no Brasil e no mundo. Estima-se que 16% da população mundial teve ou terá depressão em algum grau. Ainda assim, muitos não sabem definir adequadamente o que é depressão.

Depressão tem tratamento, e com as informações abaixo você encontrará esperança e caminhos para a recuperação.

Entenda suas causas, identifique os sintomas, e conheça os principais tratamentos.

Acredite: você (ou alguém conhecido) pode vencer a depressão, e reinventar o sentido da vida.

 

Introdução

A depressão tem sido citada por inúmeros institutos, governos e profissionais como uma das maiores doenças de todos os tempos. 11 milhões de brasileiros passam pelos desafios de sofrer este mal tão desconhecido e de origem complexa.

Portanto, a primeira ação que devemos fazer contra ela é obtermos informações. Conhecer a doença a ponto de obter esperança e tratamentos para atenuar, inibir ou superar seus sofrimentos.

Tópicos principais deste artigo:

 

O que é depressão?

o que é depressão?

Precisamos deixar algo muito claro logo no início de nosso artigo:

Depressão é uma doença.

Não é raro ver pessoas ignorantes subestimarem esta doença e desmerecendo quem a enfrenta.

Dizem que alguns, exageradamente, que preferem ter um câncer à depressão devido à incompreensão das pessoas, tamanha a dificuldade de explicar e ser compreendido por parentes e amigos próximos.

Mas vamos às definições principais.

A psiquiatria define o que é depressão da seguinte forma:

Uma desordem do funcionamento cerebral, que afeta e compromete o funcionamento normal do organismo, com reflexos ou consequências na vida pessoal em seus aspectos emocionais ou psicológicos, familiares e sociais. – Dr. Pérsio de Deus no livro “Eclipse da Alma”

A OMS – Organização Mundial de Saúde – define o que é depressão assim:

A depressão é um transtorno mental caracterizado por tristeza, perda de interesse ou prazer, sentimentos de culpa ou baixa auto-estima, distúrbios do sono ou do apetite, sensação de cansaço e falta de concentração. OMS

Explicando o que é depressão de forma simples:

Depressão é falta de energia, tanto física como psíquica.

Alguns relatos de deprimidos evidenciam esta última definição. Se sentem “em câmera lenta”, “com farol baixo”, “com bateria fraca”.

A ABRATA – Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos – criou sua própria explicação do que é depressão a partir do relato de pessoas que sofreram da doença:

Caracteriza-se por um estado em que o humor fica deprimido, melancólico, “para baixo”.
O indivíduo sente angústia, ansiedade, desânimo, falta de energia e, sobretudo, uma tristeza profunda. Às vezes tédio e apatia sem fim.

 

Vídeo da OMS “The Black Dog” (“O Cachorro Preto”)

A OMS – criou um vídeo buscando esclarecer o que é depressão numa linguagem que todos podem compreender.

Ela atribui a doença a um persistente cachorro preto, que acompanha o deprimido em todos os lugares, atrapalhando sua vida e o deixando infeliz.

A boa notícia é que podemos domesticar este cachorro, e diminuir sua influencia sobre nossas vidas!

Veja como no vídeo abaixo:

 

Estatísticas da depressão

A OMS afirma que em todo o mundo os deprimidos são milhões. Veja os dados abaixo:

  • Cerca de 5% da população mundial é afetada pelo mal.
  • As mulheres são as mais suscetíveis a doença. De 4,5% a 9,3% do sexo feminino sofrem do mal.
  • Nos homens a depressão afeta de 2,3% a 3,2% deles.
  • A depressão também é muito democrática. Pessoas de todas as classes sociais, religiões, nações, níveis sócio-econômico, sexos ou idades podem apresentar um quadro depressivo.
  • É previsto que 10% das pessoas sofram algum episódio de depressão ao longo da vida.
  • Em 20% dos casos ela será contínua, principalmente por falta de tratamento adequado.
  • Aproximadamente dois terços das pessoas com depressão (cerca de 66%) não fazem tratamento.

Os números crescem a cada dia, principalmente devido à diminuição da qualidade de vida nas grandes cidades.

Cabe aos governos, ao terceiro setor, aos profissionais, e a cada um de nós ter uma postura adequada para o enfrentamento da doença.

Agora que já entendemos o que é depressão, precisamos entender o que a causa.

 

Causas da depressão

Depressão e a Falha nos neurotransmissores

Quimicamente falando, o processo depressivo ocorre quando há algum problema nos chamados neurotransmissores.

Eles são responsáveis pela produção de hormônios que nos fazem sentir bem, nos dando sensação de conforto, prazer e bem estar.

E o que causa os defeitos nos neurotransmissores?

Muitos fatores.

A depressão tem origem multicausal, ou seja, várias fontes podem desencadear seu processo.

Dentre os principais temos:

  • Stress e estilo de vida
  • Privação do sono
  • Ambiente profissional
  • Traumas precoces de vida (orgânicos e psíquicos)
  • Outras doenças clínicas e psíquicas (depressão secundária)
  • Uso de medicamentos
  • Fatores familiares como ausência paterna e conflitos familiares
  • Bullying (intimidação por colegas de escola)
  • Abuso sexual
  • Violência


Cabe ao terapeuta identificar junto com o deprimido as possíveis causas, e encontrar caminhos para eliminar esses fatores ou mitigar os traumas de sua vida, iniciando o tratamento.

 

Sintomas de depressão

Terapias o que é depressão

Os 3 principais sintomas

Há 3 principais sintomas associados à depressão:

  1. Humor deprimido

  2. Perda do interesse, apatia

  3. Fadiga e sensação de cansaço

Além desses, há mais 16 sintomas que podem compor um quadro depressivo.

E eles podem sofrer variações tanto de intensidade como de quantidade.

Mas antes temos que considerar algo muito importante para um diagnóstico correto.

Depressão ou tristeza comum?

O tempo de duração da depressão é um dos principais fatores para o diagnóstico.

Todos nós passamos por diversos estados de humor ao longo da vida ou mesmo ao longo do dia. Somos influenciados todo o tempo para estarmos alegres ou tristes. Eufóricos ou melancólicos.

Portanto, é absolutamente normal sentir melancolia ou tristeza por algum motivo ou devido ao ambiente em que vivemos, e após alguns dias ela se dissipar.

Essas oscilações de humos faz parte do que é ser humano.

Há também outras ocasiões em que a uma tristeza dure mais tempo, como no luto, por exemplo. E ainda assim não se trata necessariamente da doença. Está dentro da normalidade que uma pessoa que perdeu alguém querido se sinta triste, desmotivada, não tenha satisfação em atividades que antes lhe dava prazer.

Esse tempo de luto dura geralmente de 6 meses a 1 ano, mas a tristeza passa, dando lugar à saudade.

Para que uma pessoa possa ser diagnosticada como depressão, deve haver pelo menos 5 sintomas típicos durante mais de 3 semanas.

19 possíveis sintomas de depressão

Abaixo estão seus 19 sintomas característicos.

Havendo a soma de cinco dos sintomas abaixo, é provável que a pessoa esteja deprimida.

  • Humor deprimido
  • Auto-estima baixa
  • Alterações de peso
  • Ansiedade e angústia
  • Fadiga, sensação de cansaço, desânimo
  • Irritabilidade
  • Vazio e desesperança
  • Maior esforço para realizar atividades anteriormente fáceis de serem realizadas
  • Perda do interesse, apatia
  • Medo e insegurança
  • Dificuldade de sentir prazer em atividades anteriormente prazerosas
  • Culpa sentida de modo desproporcional
  • Alterações de sono
  • Diminuição do apetite sexual
  • Dificuldade em atenção de concentração
  • Esquecimentos frequentes
  • Vontade de “deixar de viver”
  • Ideias de suicidio
  • Dores pelo corpo (e outros sintomas clínicos)

Novamente é importante lembrar:

Sentir ou passar por alguns dos sintomas acima não necessariamente significa que está com depressão.

Apenas se 5 sintomas se apresentarem ao mesmo tempo, e durarem mais de 3 semanas é que podemos pensar nesta possibilidade.

Converse com seu médico ou terapeuta sobre o que ocorre com você, para que ele faça um diagnóstico correto, e o encaminhe para o tratamento adequado.

 Veja aqui um artigo mais aprofundado sobre os sintomas de depressão.

 

Tipos de depressão

O que é depressão

Podemos classificas os diversos tipos de depressão em:

Depressões menores

Apesar de serem mais leves, são as mais comuns.

A Distimia é considerada uma alteração crônica de humor, mas não é considerada um quadro depressivo clássico. Nela a pessoa alterna períodos depressivos e períodos em que se sente relativamente bem.

Apesar de conseguirem lidar com as exigências da vida, o fazem com perda de qualidade de vida, irritabilidade e falta de prazer.

Mais de 90% dos pacientes com distimia podem evoluir para quadros depressivos.

Já a Ciclotimia se caracteriza por estados de humor alternados cíclicos frequentes. Como de um estado eufórico ao estado melancólico frequentemente, por exemplo.

Em casos mais graves apresentam mudanças abruptas.

Depressões somáticas

São estados depressivos que desencadeiam queixas em outras áreas da medicina clínica.

Palpitações, dores no corpo, gastrite, são algumas complicações que podem ser decorrentes de um quadro depressivo.

Não raro estas pessoas procuram primeiro o cardiologista, endocrinologista, dermatologista, etc, com queixas nessas áreas, sem que estes médicos encontrem uma causa plausível para a queixa.

Deve assim haver um encaminhamento para tratamento adequado especializado.

Depressões secundárias (comorbidade)

É o estado depressivo causado em função de uma outra desordem orgânica.

Dentre elas temos:

  • Doenças de modo geral
  • Agentes físicos
  • Agentes químicos
  • Intoxicações
  • Stress e esgotamento
  • Efeitos colaterais de medicamentos

Há também estudos que indicam que os campos eletromagnéticos de telas de computadores podem ser influencia em um quadro depressivo.

 

Níveis de intensidade ou gravidade da depressão

Os estados depressivos variam em níveis diferentes. Veja abaixo:

Depressão leve

Este nível leve de depressão ocorre quando a pessoa mantém suas atividades diárias (trabalho, cuidados com o lar, filhos, etc), porém o faz com irritação, com extremo cansaço, e mau humor em estados variados.

Depressão moderada

Neste nível a depressão começa a influenciar as atividades do deprimido.

Os sintomas aumentam, há redução de qualidade de vida, e o rendimento profissional cai.

É como se a pessoa rendesse, por exemplo, 50% do que poderia.

Depressão grave

Neste estado o deprimido sofre da chamada “depressão de grande mal”.

Haverá uma limitação considerável da vida da pessoa em todos os aspectos.

Em alguns casos, surgem ideias suicidas.

 

Quais os tratamentos para depressão?

Segundo o psiquiatra Dr. Pérsio de Deus, especialista na área:

Não há depressão sem tratamento. O que há é depressão mal diagnosticada e mal tratada.

Como citamos acima, apenas um terço das pessoas com depressão são submetidas a tratamento adequado.

Os tratamentos evoluíram muito nos últimos anos. E da mesma forma que há muitas causas da depressão, também há muitos tratamentos possíveis a ela.

Tratamentos psicológicos – psicanálise

O que é depressão

O tratamento psicológico visa colaborar com o equilíbrio do homem em sua integralidade, não apenas focando um aspecto patológico como a depressão.

Há diversas teorias de terapia como a psicanálise de Freud, a psicologia analítica de Jung, a cognitiva comportamental, a sistêmica, etc.

Todas elas podem incluir em seu escopo a menção da depressão, seguido da identificação e tratamento dos traumas ocultos no subconsciente que possam ter influenciado o deprimido.

Ajuda de psicólogos é na grande maioria das vezes uma opção bastante saudável e útil não só para o tratamento da depressão como para que a pessoa se encontre, e encontre seu papel no universo, alcançando o equilíbrio.

Tratamentos por medicamentos (psicofármacos)

o que é depressão

Em casos especiais, o médico psiquiatra pode indicar medicamentos antidepressivos que ajudem o paciente a enfrentar o processo de recuperação.

Há diversos medicamentos que tratam a depressão com pouco ou nenhum efeito colateral.

Converse com seu médico sobre isso.

Tratamentos naturais

Exercícios para depressão

É muito interessante o fato da natureza já ter proporcionado fontes terapêuticas para o homem deprimido.

Exercícios físicos

Exercícios físicos é a primeira grande arma contra a doença. Libera endorfina que está associada à serotonina.

Os gregos antigos já sabiam disso. Há relatos de verdadeiros Spas chamados Casa das Ninfas, onde era recomendado ginásticas matinais e massagens para os que sofriam de humores negativos.

Os deprimidos não tem vontade de realizar atividades, portanto não é possível exigir isso deles. Mas após um tempo de tratamento, o deprimido se sentirá melhor para iniciar ou ampliar as atividades físicas.

Banho de Sol

Outro fator natural é o nosso Sol.

Banhos de sol frequentes em horários apropriados sempre foram recomendados para pacientes de diversas doenças. E o mesmo ocorre com os doentes depressivos.

Se expor ao sol estimula a liberação de hormônios, incluindo a melatonina, considerada um antidepressivo natural que ajuda na regulação do sono, possuindo propriedades imunológicas.

Pense comigo: se depressão é falta de energia, o sol – fonte de toda energia biológica do planeta – certamente será muito terapêutico.

 

Onde encontrar ajuda?

 

Procure ajuda profissional

Infelizmente 50% dos casos de depressão não são tratados.

Psicólogos, médicos psiquiatras, terapeutas de modo geral possuem conhecimento e experiência suficiente para dar caminhos possíveis para cada caso.

Não deixe de procurá-los!

Se você acredita que possa estar com depressão, consulte um médico. Evite o autodiagnóstico e principalmente a automedicação.

Atendimento psicológico e psiquiátrico gratuito

SUS – Sistema Único de Saúde

O SUS oferece atendimento psicológico e psiquiátrico gratuito à população.

Em São Paulo temos o Instituto de Psiquiatria – Hospital das Clínicas/FMUSP – clique para acessar com diversas especialidades.

Outros institutos

No Brasil há diversos institutos públicos e particulares filiados ou não ao SUS que também oferecem tratamentos gratuitos.

Faça uma busca no Google usando a palavra-chave “psicologia atendimento gratuito” ou “psiquiatria atendimento gratuito” seguido da sua cidade ou estado, e certamente haverão diversos institutos que poderão oferecer sem nenhum custo ajuda profissional a você ou seu conhecido.

saudeinterior.org

O Instituto Nacional de Saúde Interior foi criado para auxiliar pessoas em vulnerabilidade psico-emocional através de conteúdos relevante que orientem e ofereça esperança a todos que enfrentam a depressão e outras doenças da alma.

Faça parte da nossa comunidade!

 

Conclusão

A falta de informações sobre o que é depressão ainda é muito comum entre as pessoas. Infelizmente isso ocorre também entre os próprios deprimidos, deixando-os muito longe dos eficazes tratamentos.

Ao enfrentarmos esta doença munidos de conhecimento, a recuperação se torna mais tangível e mais rápida.

Terminamos dizendo: Não desista!

Sabemos como pode ser difícil, mas há meios sérios e comprovados para que deprimidos e as pessoas próximas a ele possam reencontrar um sentido maravilhoso de viver!

Deixe seus comentários, dúvidas e depoimentos abaixo. Será um prazer interagir com você!

Fique em paz, e se cuide!

Alex Carnier
Alex Carnier
Idealizou o saudeinterior.org após experimentar na pele o sofrimento psico-emocional causado por uma depressão, e descobrir que cerca de 20 milhões de brasileiros passam pelo mesmo problema. Acredita que juntos podemos mudar o mundo, transformando um coração de cada vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *