fbpx

Quarentena: 7 dicas para manter a Saúde Mental

O surto de doença por coronavírus que ocorre desde dezembro de 2019 fez com que muitos países solicitassem que as pessoas ficassem em quarentena.

A pergunta que fazemos é: como ela impacta nossa saúde mental?

Descubra neste artigo os detalhes de uma pesquisa científica abrangente sobre o assunto, e como se manter mentalmente saudável, diminuindo os impactos negativos da quarentena na sua vida.

[ Este artigo é uma adaptação e resumo da pesquisa “The psychological impact of quarantine and how to reduce it: rapid review of the evidence“. ]

Introdução

Antes de nos aprofundarmos no assunto, me siga lá no Instagram e receba inspiração diária para superar a ansiedade e depressão, e (re)conquistar seu bem-estar! Vai ser um prazer bater um papo com você! 😉

Agora vamos ao conteúdo...

Uma pesquisa que estudou o impacto da quarentena de epidemias de 2004 a 2019 revelou que há sim efeitos psicológicos negativos na população. Entre eles sintomas de estresse pós-traumático, depressão, confusão e raiva.

Estes efeitos são decorrentes do medo de infecção, frustração, tédio, suprimentos inadequados, informações inadequadas, perda financeira e estigma.

Vamos analisar estas causas, e dar dicas de como manter a saúde mental durante a quarentena.

Mas o que é quarentena?

Quarentena é a separação e restrição do movimento de pessoas que foram potencialmente expostas a uma doença contagiosa para verificar se ficam doentes, reduzindo assim o risco de infectar outras pessoas.

Quarentena ao longo dos séculos

A palavra quarentena foi usada pela primeira vez em Veneza, Itália, em 1127, quando ocorreu uma epidemia de hanseníase, e foi amplamente usada em resposta à Peste Negra.

Mais recentemente, a quarentena foi usada no surto da doença de coronavírus 2019 (COVID-19). Esse surto fez com que cidades inteiras na China fossem efetivamente colocadas em quarentena em massa, enquanto muitos milhares de estrangeiros voltando para casa da China foram solicitados a se auto isolar em casa ou em instalações estatais.

Em 2003, cidades inteiras na China e no Canadá ficaram em quarentena durante o surto da síndrome respiratória aguda grave (SARS), enquanto vilas inteiras em muitos países da África Ocidental foram colocadas em quarentena durante o surto de Ebola de 2014.

Por que a quarentena é tão difícil?

A quarentena geralmente é uma experiência desagradável para quem passa por ela. A maioria dos efeitos adversos advém da imposição de uma restrição de liberdade.

A separação dos entes queridos, a perda de liberdade, a incerteza sobre o status da doença e o tédio podem, ocasionalmente, criar efeitos dramáticos. Foi relatado suicídio, raiva e ações judiciais após a imposição de quarentena em surtos anteriores.

O real impacto psicológico da Quarentena

Analisando a pesquisa linkada acima, podemos evidenciar alguns fatos importantes:

Estresse pós-traumático

Os níveis de estresse pós-traumático eram quatro vezes maiores em crianças que estavam em quarentena do que naquelas que não estavam.

Sintomas emocionais e depressão

Estudos relataram distúrbios emocionais, depressão, estresse, humor baixo (tristeza), irritabilidade, insônia, sintomas de estresse pós-traumático, raiva e exaustão emocional.

Pessoas relataram medo, nervosismo, tristeza, e culpa.

Poucos relataram sentimentos positivos

Apenas 5% relataram sentimentos de felicidade e 4% relataram sentimentos de alívio.

Efeitos de longo prazo da quarentena

Dois estudos relataram efeitos a longo prazo da quarentena.

Os profissionais de saúde são os mais afetados

Os que estavam em quarentena apresentavam sintomas mais graves de estresse pós-traumático do que os membros do público em geral que estavam em quarentena.

Estes profissionais também sentiram maior estigmatização do que o público em geral, exibiram mais comportamentos de esquiva após quarentena, relataram maior perda de renda e foram consistentemente mais afetados psicologicamente: relataram substancialmente mais raiva, aborrecimento, medo, frustração, culpa, desamparo, isolamento, solidão, nervosismo, tristeza, preocupação e eram menos felizes.

A equipe em quarentena apresentou uma probabilidade significativamente maior de relatar exaustão, desapego de outras pessoas, ansiedade ao lidar com pacientes febris, irritabilidade, insônia, baixa concentração e indecisão, deterioração do desempenho no trabalho e relutância em trabalhar ou consideração de demissão.

O que exatamente nos impacta psicologicamente na quarentena?

Duração da quarentena

Três estudos mostraram que durações mais longas de quarentena estavam associadas especificamente a problemas de saúde mental. E aqueles em quarentena por mais de 10 dias apresentaram sintomas de estresse pós-traumático significativamente maiores do que aqueles em quarentena por menos de 10 dias.

Medos de infecção

Houve relatos de temores de pessoas sobre sua própria saúde ou medo de infectar outras pessoas. As pessoas preocupadas tendiam a ser mulheres grávidas e aquelas com crianças pequenas.

Frustração e tédio

Demonstrou-se frequentemente que o confinamento, a perda da rotina habitual e o contato social e físico reduzido com outras pessoas causam tédio, frustração e uma sensação de isolamento em relação ao resto do mundo, o que foi angustiante para os participantes. Essa frustração foi exacerbada por não poder participar das atividades diárias do dia-a-dia.

Suprimentos inadequados

O fornecimento de suprimentos básicos inadequados (por exemplo, comida, água, roupas ou acomodação) durante a quarentena foi uma fonte de frustração e continuou associado a ansiedade e raiva 4 a 6 meses após a liberação. Ser incapaz de obter cuidados médicos regulares e prescrições também pareciam ser um problema para alguns participantes.

Informações inadequadas

Muitos participantes citaram informações fracas das autoridades de saúde pública como estressores, relatando diretrizes claras e insuficientes sobre as ações a serem tomadas e confusão sobre o objetivo da quarentena

Finanças

A perda financeira pode ser um problema durante a quarentena, com pessoas incapazes de trabalhar e tendo que interromper suas atividades profissionais sem planejamento avançado; os efeitos parecem duradouros. Nos estudos revisados, a perda financeira resultante da quarentena criou sérios problemas socioeconômicos e foi considerada um fator de risco para sintomas de distúrbios psicológicos, raiva e ansiedade vários meses após a quarentena.

Como manter a saúde mental durante a quarentena?

1. Obter informação correta é fundamental

Pessoas em quarentena precisam entender a situação.

Fique longe das fakenews de What’s App. Busque fontes confiáveis como os canais das autoridades públicas e veículos de informação renomados.

2. Defina uma rotina diária

Uma rotina leve, porém constante irá ajudar sua mente a se manter organizada dentro de casa.

Horários definidos para acordar, se alimentar, se divertir, conversar, se informar e dormir são importantes.

Controle também o seu estoque de alimentos, medicações, produtos de limpeza e higiene pessoal. Se necessário, compre esses itens de uma só vez, porém sem exageros, pois a quarentena geralmente dura poucos dias.

3. Se estiver trabalhando…

O horário de começar e terminar de trabalhar é fundamental.

Tirar o pijama, colocar uma roupa mais formal e definir um espaço de trabalho específico dentro de casa ajuda seu cérebro a entrar no modo produtivo.

4. Entre em contato com familiares e amigos, e ofereça ajuda

Evite a todo custo se fechar em si mesmo e desenvolver uma atividade adoecedora ou viciante. Lembre-se de quem está próximo de você, e ofereça ajuda.

Use a tecnologia para comunicação com familiares e amigos atualizando-os sobre sua situação. E garanta também que eles estejam bem.

Isso irá reduzir sentimentos de isolamento, estresse e pânico.

Ah… O serviço à população de risco é uma forma de manter o espírito elevado e a mente sóbria. Aproveite para se mostrar altruísta e servir ao próximo.
Aqui está um artigo sobre como ajudar uma pessoa com depressão que esteja passando por um transtorno mental.

5. Reduza o tédio nos horários livres

Está provado que tédio e isolamento causam angústia (vide pesquisa).

Por isso, você precisa saber o que fazer para evitá-los e ter atividades práticas e prazeirosas nos horários livres.

Hobby, livros e filmes inspiradores

Retome aquele hobby ou passatempo que adora, leia aquele livro interessante, ou aproveite para consertar aquela parte da casa que sempre deixou para depois.

Assistir uma boa palestra do TED Talks para ampliar a mente é uma ótima dica.

Tudo isso irá manter sua mente ocupada e sadia.

6. Cuidado com excessos na internet e redes sociais

Se deixar levar pela timeline infinita das redes sociais é muito fácil. Porém isso pode te levar a um sentimento de inutilidade e frustração.

Dose o tempo que fica nas redes sociais e aproveite melhor atividades offline como:

  • Brincar com seus filhos
  • Ler livros
  • Cuidar de plantas
  • Cozinhar
  • Se exercitar em casa
  • Etc

Ah… Faça aquela higienização de timeline. Aproveite para deixar de seguir aquelas pessoas que não lhe acrescentam coisas boas.

7. Não deixe de fazer exercícios físicos

Com as academias fechadas, é tentador interromper suas atividades físicas. E se você não estava fazendo exercícios antes da quarentena saiba que eles são fundamentais para sua saúde mental.

Mens sana in corpore sano. (Mente sadia, corpo sadio.)

O Youtube está cheio de vídeos de como se exercitar dentro de casa. E se você mora em uma região que não possui aglomerações (e se não houver restrições governamentais), pode sair para caminhar ou correr.

Recomendo nosso artigo “O que é saúde mental?” que fala sobre atividade física.

Como o governo deve mitigar os impactos psicológicos da quarentena?

Manter a quarentena o mais curta possível

A quarentena mais longa está associada a piores resultados psicológicos, talvez sem surpresa, pois é lógico que os estressores relatados pelos participantes poderiam ter mais efeito quanto mais tempo eles experimentassem. Restringir a duração da quarentena ao que é cientificamente razoável, dada a duração conhecida dos períodos de incubação, e não adotar uma abordagem excessivamente preventiva a isso, minimizaria o efeito nas pessoas.

Dar às pessoas o máximo de informação possível

As pessoas em quarentena geralmente temiam ser infectadas ou infectar outras pessoas. Eles também costumam ter avaliações catastróficas de quaisquer sintomas físicos experimentados durante o período de quarentena.

Garantir que as pessoas em quarentena tenham uma boa compreensão da doença em questão e os motivos da quarentena devem ser uma prioridade.

Fornecer suprimentos adequados

É preciso garantir que as famílias em quarentena tenham suprimentos suficientes para suas necessidades básicas e, o que é mais importante, elas devem ser fornecidas o mais rápido possível.

Os profissionais de saúde merecem atenção especial

Os próprios profissionais de saúde geralmente ficam em quarentena e, assim como o público em geral, são afetados negativamente pelas atitudes estigmatizantes de outros.

Estar separado de uma equipe com a qual está acostumado a trabalhar em contato próximo pode aumentar os sentimentos de isolamento dos profissionais de saúde em quarentena. P

Portanto, é essencial que eles se sintam apoiados por seus colegas imediatos. Durante surtos de doenças infecciosas, verificou-se que o apoio organizacional protege a saúde mental da equipe de saúde em geral e os gerentes devem tomar medidas para garantir que seus funcionários apóiem ​​seus colegas em quarentena.

Conclusão

O impacto psicológico da quarentena é realmente amplo, substancial e pode ser duradouro.

Isso não sugere que a quarentena não deva ser usada; os efeitos psicológicos de não usar a quarentena e permitir que a doença se espalhe podem ser piores.

Se a quarentena é essencial, você deve tomar todas as medidas para garantir que essa experiência seja o mais tolerável possível para si mesmo e para sua família.

Não esqueça de acompanhar o Saúde Interior nas redes sociais.

Se cuide!

Alex Carnier
Alex Carnier
Após uma depressão, fundei o portal terapêutico Saúde Interior, iniciei a formação em Psicologia Ψ e me tornei um entusiasta da #psicoeducação. Vem comigo!
guest
2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Sandy Sena
Sandy Sena
28 de julho de 2020 17:58

Achei excelente conteúdo e vou compartilhar os conteúdos em minhas redes sociais.
Gratidão

Até quando a
ansiedade
vai controlar
você?

Participe de 7 a 13 de dezembro
EVENTO ONLINE E GRATUITO
QUERO CONHECER
close-link
2
0
Comente aqui o que achou do artigo!x
()
x